SEO – 7 técnicas para 2017

Confira algumas estratégias e ações que são atemporais e trarão resultados de médio a longo prazo no seu trabalho de SEO em 2017.

A otimização para motores de busca é um trabalho que deve ser feito de forma contínua, respeitando as diretrizes de qualidade do Google, com foco no usuário, ou seja, a lista de técnicas a seguir é apenas um ponto de partida e não a formula mágica do SEO.

1 – Entenda seu público-alvo e como pesquisam

Essa técnica era conhecida como pesquisa de palavras-chave (keywords). Hoje a definição dos termos que iremos utilizar na otimização do conteúdo de uma página não se resume apenas ao volume médio de pesquisas mensais de uma palavra, apesar de continuar muito importante.

Temos que nos atentar com a intenção de busca, ou como o Google classificou, os micro-momentos da pesquisa: I want to know (quero sabe), I want to go (quero ir), I want to do (quero fazer) e I want to buy (quero comprar).

Importante também definir muito bem quais são as palavras-chave que deseja obter um bom posicionamento.

2 – Implemente o certificado de segurança SSL/HTTPs

Em 2014 o Google confirmou que sites que passassem a utilizar o SSL/HTTPS seriam beneficiados nos resultados orgânicos.

Hoje existem várias empresas oferecendo certificados de segurança a preços bem acessíveis e outras são gratuitas como o caso da Let’s Encrypt e da CloudFlare.

Confira aqui um passo a passo para uma migração segura e sem riscos de queda de performance orgânica

3 – Otimize para Mobile First

Desde novembro de 2016, o Google passou a considerar o conteúdo da versão mobile de uma página para atribuir seu posicionamento, mesmo no desktop. Bem vindos a otimização onpage 3.0!

Resumindo, garantam que o conteúdo no mobile seja tão completo quanto o da versão desktop e otimize os elementos já conhecidos da otimização on-page tradicional como: títulos, meta descrições, heading tags, imagens, tempo de carregamento entre outros.

4 – Google AMP (Accelerated Mobile Pages)

O Accelerated Mobile Page (AMP) tem como principal objetivo acelerar o carregamento de páginas em dispositivos móveis, mesmo em conexões mais lentas. Páginas AMP têm um código mais limpo, livre de scripts e outros elementos que geralmente deixam o carregamento mais lento.

Nos resultados mobile do Google, páginas em AMP estão cada vez mais em evidência, sejam nos carrosséis no topo dos resultados ou nos ícones nas descrições no snippet.

Desenvolver páginas em AMP é uma das maneiras mais rápidas de chegar ao topo das buscas nos resultados mobile.

5 – UX (user experience) é indispensável

Sempre priorize o usuário.

Layouts modernos, diagramação do conteúdo, navegação fácil e objetiva, arquitetura de informação entre outros elementos devem fazer parte do trabalho de otimização para motores de busca.

Na imagem abaixo vemos o resultado de um projeto onde foi alterado apenas o layout, aprimoramos a experiência mobile e reduzimos o tempo de carregamento. Observem como o “visibility trend” salta de menos de 20% para a casa dos 40%. Em número de posições estamos falando de um salto da 4ª para a 1ª posição, para palavras extremamente competitivas e de alta relevância.

6 – O conteúdo ainda é o Rei

“O conteúdo é rei” é outro jargão sempre presente no marketing digital. E continua sendo um dos pontos mais importantes para o sucesso de um trabalho de SEO.

O tipo de conteúdo que faz sucesso nas buscas é aquele que foi redigido com foco nos usuários e responde todas as dúvidas em relação a um determinado tema.

Uma dica bem simples para produzir conteúdo de qualidade é analisar os 10 primeiros resultados orgânicos. Se o conteúdo que pretende redigir não for melhor que eles, nem perca tempo.

7 – Links, Links, Links

Links, Backlinks, Hiperlinks, não importa como você os chamem, eles continuam sendo o principal fator de ranqueamento do Google. Sejam eles internos ou externos, o primeiro sendo menos relevante que o segundo, mas ainda sim muito importante.

Uma estrutura de links internos bem elaborada faz uma diferença enorme no posicionamento orgânico das páginas de um site. Portanto, se você ainda não utiliza trilhas de navegação (breadcrumbs) ou não aponta links de dentro do conteúdo para outras páginas é melhor começar.

Links externos, são mais difíceis de conquistar, mas são eles que fazem a diferença. Existem várias maneiras de se conquistar um link externo, como:

Guest Blogging
Infográficos
Parceiros comerciais e fornecedores (excelente para B2B)
Releases
Etc.

Conclusão

O SEO não é uma caixa preta e sim mais uma das várias disciplinas do marketing digital e deve ser encarada como tal. Foque no público-alvo, na comunicação e promoção de seus produtos e serviços, que terão sucesso nos resultados orgânicos do Google.

Para fechar, evitem infringir as diretrizes de qualidade para esquema de links do Google. Vocês não vão querer que o seu site ou de seus clientes desapareça dos resultados orgânicos, certo?

Gostou do conteúdo? Compartilhe!
 
 

Deixe uma resposta