10 hábitos japoneses para você praticar

Com a imigração japonesa no Brasil, os imigrantes japoneses incluíram dezenas de elementos novos à cultura local. Mas ainda há outros hábitos nipônicos que podem ser incorporados para tornar a vida mais agradável e a convivência, mais gentil. Confira alguns deles.

1 – Genkan

Muitos já conhecem esse hábito e inclusive já adaptaram esse costume em suas casas. No Japão, os sapatos são retirados antes de entrar nos cômodos da casa. Eles são substituídos por chinelinhos chamados Suripas e deixados no genkan, uma espécie de hall de entrada.

No Japão, o genkan (玄関) normalmente é construído num nível mais baixo em relação ao piso da casa, mas você pode adaptar esse costume usando outros recursos. Um banquinho com sapateira, para tirar os calçados confortavelmente, e um cesto com chinelos para as visitas dão conta do recado e ajudam a tornar a casa um lugar mais limpo e aconchegante.

2 – Não desperdiçar comida

No Japão existe um conceito chamado Mottainai que em seu sentido pleno refere-se não só ao desperdício material, como também aos padrões de pensamento que dão origem à ação que gera desperdício de qualquer natureza, inclusive emocional e espiritual.

Por exemplo: Deixar um grão de arroz no prato é considerado um profundo desrespeito de acordo com o Espírito Mottainai. Provavelmente pelo histórico de guerras e fomes, os japoneses se acostumaram a comer em pequenas porções e a raspar os pratos.

Quem conviveu com pais e avós japoneses, com certeza já ouviu deles para não fazer “motainai”, ou seja não deixar sobrar comida no prato. Com certeza as dificuldades que passaram ajudaram a moldar essa consciência e atitude tão sólida em sua cultura.

3 – Temiyage

O Japão é repleto de convenções sociais (giri). Por exemplo, ao se visitar a casa de alguém, é de bom tom levar algum mimo para o anfitrião. Pode ser uma caixa de biscoitos, um docinho, uma caneta… O valor monetário não importa. O temiyage ou omiyage (quando se refere a lembranças de viagem) — mostra que você se importa com o outro.

Há uma infinidade de lojas no país especializadas nesse tipo de souvenir. Presentes feitos em casa são recomendados só para aqueles com quem você tem muita intimidade. Você mesma pode providenciar doces ou conservas caseiras. Com certeza será sucesso garantido.

4 – Etiqueta no transporte público

Além da pontualidade extrema dos metrôs, trens e ônibus, a etiqueta dos usuários nos transportes públicos no Japão é algo levado muito a sério. Não é de bom tom falar no celular ou ouvir música alta dentro dos transportes. Não existe o costume de furar fila e normalmente os que vão entrar, esperam os passageiros saírem primeiro, evitando assim o tumultuo.

5 – Mochiyori

Você já foi a alguma confraternização em que cada convidado leva um prato de comida? Se sim, então, já participou de um mochiyori (持ち寄り). Esse costume japonês é bastante popular na colônia nipônica no Brasil. “No Japão antigo e atual, a ideia de compartilhar, trocar e cooperar faz parte da cultura”, diz Cecília Nagayama, sócia do restaurante Naga, de São Paulo.

Além de não pesar no bolso dos convidados, o mochiyori foi um dos responsáveis em preservar a culinária japonesa no Brasil. Embora só precisasse levar um prato, tais como futomaki, sekihan, etc, o convidado tinha a oportunidade de experimentar diversos outros, ajudando a disseminar o gosto pela comida e as receitas tradicionais para as novas gerações.

6 – Noshibukuro

Para os japoneses, presentear com dinheiro não é uma grosseria, muito pelo contrário: trata-se de uma gentileza adotada tanto em ocasiões felizes, como casamentos ou no nascimento de um bebê, quanto em situações difíceis, como um funeral ou na visita a um amigo doente.

Há até envelopes próprios para isso, chamados de noshibukuro, decorados de acordo com sua finalidade. Se você acha que presente em dinheiro é muito impessoal, que tal customizar seu envelope? Crie seu próprio noshibukuro com colagens, origamis, fios decorativos…

7 – Etiqueta na rua e no trânsito

A rua pode estar deserta, mas se o sinal estiver fechado ninguém atravessa! Mesmo nas grandes metrópoles, o trânsito é muito organizado. As pessoas não atravessam fora da faixa. Quase não se ouve buzinas, as ruas costumam ser muito limpas, sem lixo no chão. As pessoas usam mais o transporte público ao invés de comprar um carro, justamente porque funciona.

8 – Usar máscaras

Em tempos de coronavírus, os brasileiros tem adotado o hábito de usar máscaras mas esse é um costume muito antigo e consolidado no Japão e outros países asiáticos. Talvez isso explique o menor índice de Covid 19 nesses países, em conjunto com outros hábitos é claro.

No Japão, as máscaras são usadas especialmente para combater alergias ao pólen e vírus da gripe e resfriados. Se nessas condições, não é de bom tom sair sem máscaras no país, especialmente em lugares com aglomerações. Esse hábito ajuda a evitar passar doenças e contagiar os outros. Trata-se de um grande gesto de educação e de respeito ao próximo.

9 – Agradecer antes das refeições

Os japoneses tem o costume de falar “itadakimasu” antes de comer e fazer uma pequena prece mentalmente agradecendo a refeição e todos aqueles envolvidos até que a comida chegasse até a mesa! Trata-se de gratidão por ter o que comer enquanto muitos passam fome.

No final da refeição, outra expressão é comumente falada: Gochisōsama deshita. Pode ser traduzido como “Obrigado por esta refeição!” ou “Isto foi um banquete”. São expressões usadas em todas as refeições, ou seja, no café da manhã, almoço, lanches e jantar.

10 – O respeito ao próximo

Quando temos a oportunidade de conhecer a fundo o Japão, várias virtudes sobressaem aos nossos olhos. O Omotenashi (hospitalidade), a educação e a honestidade (Há muitos relatos de pessoas que perderam celulares e carteiras e conseguiram recupera-los facilmente).

As regras para um bom convívio social são muito claras e não tem vez para o jeitinho brasileiro. O respeito pelo próximo é algo visto como essencial no país e atitudes como furar filas ou tentativas de se beneficiar em cima de outras pessoas não são bem vindas. Mas as coisas só funcionam dessa maneira, porque as pessoas em geral procuram fazer as coisas certas!

Fontes: catracalivre.com.br, revistacasaejardim.globo.com, japaoemfoco.com

 
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.